Cirurgia Robótica

Se você foi diagnosticada com uma doença ginecológica que requer cirurgia, entre em contato com um cirurgião experiente em Cirurgia Minimamente Invasiva para conversar sobre as opções terapêuticas disponíveis para o seu tratamento.

Se você foi diagnosticada com câncer ginecológico, procure um especialista em Ginecologia Oncológica para obter o melhor tratamento interdisciplinar. Conversando com um especialista você terá a possibilidade de alcançar os melhores resultados, com o mínimo de dor e sofrimento.

O que é Cirurgia Minimamente Invasiva?

É uma cirurgia realizada por videolaparoscopia ou cirurgia robótica. Os órgãos da cavidade abdominal são abordados por meio de pequenas incisões na pele. Um sistema de vídeo é utilizado para a captura das imagens, de alta definição e ampliadas, sem que seja feito o manuseio direto (com as mãos) dos órgãos.

A cirurgia robótica representa um grande avanço no campo das intervenções minimamente invasivas. Um sistema robótico auxilia o procedimento que é guiado por um cirurgião especializado, habilitado e treinado. O cirurgião é quem manipula os braços do robô.

Porque a Cirurgia Minimamente Invasiva?

  • Menores incisões (cortes na pele)
  • Menores cicatrizes
  • Menor risco de infecção
  • Menor chance de perda sanguínea (diminui a chance de sangramento durante a cirurgia)
  • Menos dor no pós-operatório
  • Menor tempo de recuperação no hospital
  • Menor tempo para retornar as atividades normais

Quais foram os adventos da Cirurgia Minimamente Invasiva na Ginecologia?

A cirurgia ginecológica foi revolucionada no final dos anos 1980, especialmente por causa da cirurgia laparoscópica e mais recentemente, com o aparecimento da cirurgia robótica. Os procedimentos minimamente invasivos levam a uma recuperação mais rápida, menor tempo de internação hospitalar, redução da dor pós-operatória e diminuição da perda de sangue e de complicações.

Como a Cirurgia Robótica começou no mundo?

O conceito de cirurgia robótica assistida começou em 1994, quando a FDA (Food andDrugAdministration) aprovou a plataforma AESOP ™, um braço robótico que controlava a câmera por comando de voz. Cinco anos depois, em 1999, uma nova plataforma chamada ZEUS (Computer Motion Inc) introduziu pela primeira vez o conceito do que hoje chamamos de cirurgia assistida robótica: um cirurgião sentado em um console controla os braços robóticos conectados ao paciente por meio de trocarteres laparoscópicos.Trocateres são os instrumentos que penetram na pele do paciente e através deles são introduzidasas pinças cirúrgicas. Os braços do robô são acoplados aos trocateres.

Os comandos do cirurgião feitos através das próprias mãos e pés darão início aos movimentos do robô (o cirurgião faz o comando robótico através do console). Este sistema complexo oferece a possibilidade de uma cirurgia mais segura e efetiva.

Um grande passo no desenvolvimento da cirurgia robótica surgiu com o advento da plataforma cirúrgica da Vinci® (IntuitiveSurgical Inc., Sunnyvale, CA) e sua aprovação pela FDA em 2005.

Como a Cirurgia Robótica acontece?

O robô não substitui o cirurgião, mas tem o objetivo de aumentar a capacidade humana de realizar determinados movimentos cirúrgicos.

Os braços robóticos comandados pelo cirurgião permitem movimentos extremamente delicados, equivalentes aos das mãos de um ser humano, porém, com maior precisão, articulação e eliminado eventuais tremores. O sistema de visão na cirurgia robótica é tridimensional. O benefício da visão aprimorada e da otimização dos movimentos dos instrumentos que representam os braços e mãos do cirurgião permitem maior controle e segurança.

A Cirurgia Robótica é a mais moderna?

O sistema robótico é o que há de mais moderno em cirurgia minimamente invasiva.

O campo da cirurgia robótica vem evoluindo com rapidez, e seu uso para condições ginecológicas tem crescido exponencialmente.
Utilizado amplamente no mundo, este sistema vem sendo empregado no Brasil. Dra Patrícia Patury é uma das pioneiras na cirurgia robótica feita por mulheres cirurgiãs.

Todo cirurgião está habilitado a realizar a Cirurgia Robótica?

O treinamento de cirurgiões, diretrizes de competência e métricas de qualidade foram desenvolvidos através da capacitação e posterior certificação de cada cirurgião para se tornar um cirurgião robótico.

Somente os cirurgiões certificados estão aptos e autorizados para a realização da cirurgia robótica.

Dra Patrícia Patury vem unindo expertise, humanidade e tecnologia em tratamentos cirúrgicos robóticos em ginecologia.

Quem faz a Cirurgia Robótica? O robô ou o cirurgião?

O robô é controlado pelo cirurgião.

A cirurgia é inteiramente realizada pelo cirurgião. O robô não pode agir por conta própria.

A cirurgia robótica não é feita por robôs.

Os braços do robô replicam os movimentos realizados pelas mãos do cirurgião com extrema precisão e delicadeza, executando, inclusive, alguns movimentos e alcançando locais que a mão humana não conseguiria.

Como é a imagem na Cirurgia Robótica?

O equipamento robótico possuiu câmeras que permitem a visualização de imagens reais em 3D. O cirurgião tem, portanto, imagens maximizadas em até 10 vezes. Durante a cirurgia robótica o cirurgião consegue enxergar detalhes e minúcias em tempo real enquanto manipula pinças e controla os braços robóticos. Tudo mais preciso e seguro.

Como funciona a Cirurgia Robótica?

O cirurgiãoopera usando instrumentos longos inseridos através decinco pequenas incisões (cortes na pele) no abdômen.Os instrumentos inseridos representarão os braços e mãos do cirurgião. Na área do umbigoserá introduzido um instrumento com uma pequena câmera, este instrumento representará os olhos do cirurgiãoe de toda a equipe.

O cirurgião mantém em seu controle a câmera através dos pedais que ficam no console, local onde o cirurgião fica sentado durante a cirurgia. A câmera na cirurgia robótica possibilita a aproximação da visão à estrutura anatômica dentro do corpo da paciente. Esta ampliação da visão trazida pelo sistema robóticotraz maior precisão, nitideze segurança.

Podem ocorrer complicações na Cirurgia Robótica?

Complicações graves podem ocorrer em qualquer cirurgia,incluindo as técnicas de cirurgia minimamente invasiva como a cirurgia robótica. Embora as cirurgias ginecológicas possam ser realizadas com o uso do Sistema Cirúrgico Robóticoe sejam consideradas seguras e eficazes, esses procedimentos podem não ser apropriados para todas as mulheres. Sempre pergunte ao seu médico sobre todas as opções de tratamento, assim como seus riscos e benefícios.

Há possibilidadeda Cirurgia Robótica ser convertida?

Sim. Todos os métodos minimamente invasivos são passíveis de conversão. Ou seja, se houver necessidade durante o ato operatório, a cirurgia robótica pode ser convertida para cirurgia laparoscópica etambémpara laparotomia (técnica aberta).

A Cirurgia Robótica pode ser utilizada em casos ginecológicos benignos e malignos?

A cirurgia robótica é segura e viável para pacientes com condições ginecológicas benignas e malignas. Resultados de vários estudos operatórios demonstraram que a cirurgia robótica é preferível em relação à laparotomia e similar à laparoscopia.

Se você teve uma recomendação médica para ser tratada cirurgicamente por um caso ginecológico, você pode ser uma candidata à um procedimento cirúrgico menos invasivo. A cirurgia robótica usa um sistema cirúrgico de última geração projetado para ajudar seu médico-cirurgião a executar um procedimento minimamente invasivo, mais preciso e mais seguro.

Quais os benefícios da Cirurgia Robótica?

Para a maioria das mulheres, a cirurgia robótica oferece inúmeros benefícios potenciais em relação às outras abordagens cirúrgicas, incluindo:permanência hospitalar mais curta, menos dorpós-operatória, recuperação mais rápida, breve retorno às atividades normais, menor risco de complicações, menor perda de sangue durante a cirurgia.

Compreender sobre os avanços da tecnologia na área da Cirurgia Ginecológica pode facilitar a sua jornada ao longo do diagnóstico, tratamento e controle.
Converse com um especialista para sentir-se segura e acolhida.