Mioma

O que é mioma uterino?

Miomas uterinos são tumores não cancerosos do útero, que muitas vezes aparecem durante a idade fértil. Muitas mulheres só ficam sabendo da existência do mioma ocasionalmente, quando o médico levanta seu histórico, faz o exame ginecológico ou pede uma ultrassonografia.

Também chamado de fibróide uterino, o mioma se desenvolve a partir do tecido muscular liso do útero (miométrio). Uma única célula se divide repetida e desenfreadamente, até criar uma massa distinta dos tecidos próximos. Não se conhece exatamente a causa dos miomas. Sabe-se, porém, que ele é um tumor benigno hormônio-dependente e que sua incidência diminui depois da menopausa. Os miomas podem ser únicos ou múltiplos, variar de tamanho, provocar ou não sintomas, e podem também aparecer em vários locais do útero.

Mioma está relacionado com câncer de útero?

Os miomas uterinos não estão associados a um risco aumentado de câncer de útero, e quase nunca se transformam em câncer. Esse tumor benigno atinge cerca de 50% das mulheres na faixa etária dos 30 aos 50 anos.

Mioma uterino pode crescer?

Os padrões de crescimento dos miomas uterinos variam, podendo se desenvolver de forma lenta, rápida ou permanecer do mesmo tamanho. Alguns miomas passam por surtos de crescimento, e alguns podem encolher por conta própria. Inclusive, muitos miomas que acontecem durante a gravidez tendem a diminuir de tamanho ou desaparecer após o parto.

Quais são os sintomas e os tipos de tipos de Miomas?

Os miomas uterinos se caracteriazam de acordo com sua localização na parede do útero:

  • Miomas subserosos: localizam-se na porção mais externa do útero e geralmente crescem para fora. Este tipo de mioma não costuma afetar o fluxo menstrual, porém pode tornar-se desconfortável pelo seu tamanho e pressão sobre os outros órgãos da pelve.
  • Miomas pediculados: são ligados à superfície uterina por uma ponte fibromuscular e por onde vem também sua circulação. Normalmente não causam sintomas, porém o seu crescimento ao longo do tempo pode predispor à torção de seu pedículo, sendo em alguns casos, causa de dor aguda o que pode levar à necessidade de cirurgia de urgência para sua retirada.
  • Miomas intramurais: crescem no interior da parede uterina e se expandem, fazendo com que o útero aumente de tamanho. São os tipos de miomas mais comuns e geralmente provocam um intenso fluxo menstrual, dor pélvica ou sensação de peso abdominal.
  • Miomas submucosos: ficam na parte mais profunda do útero, abaixo da capa que reveste a cavidade uterina. São os miomas menos comuns e provocam intensos e prolongados períodos menstruais.
  • Miomas intracavitários: se localizam totalmente dentro da cavidade uterina. Eles costumam causar sangramento entre os períodos menstruais e, muitas vezes causar cólicas.

Existe alguma causa para o aparecimento do Mioma?

Não se sabe ao certo porque o mioma uterino se forma.

Existe alguma prevenção para o aparecimento do Mioma ?

Embora pesquisas estejam sendo feitas para investigar a causas dos miomas, existem poucas evidências científicas conclusivas para a prevenção. Pode ser que não seja possível prevenir os miomas uterinos. No entanto, apenas uma pequena percentagem destes tumores necessitam de tratamento.

Há tratamento para Mioma Uterino?

Sim, há tratamento. Porém, não há uma abordagem única para o tratamento do mioma uterino. Se você tiver sintomas, converse com o médico sobre as opções mais adequadas ao seu caso.

Muitas mulheres com miomas uterinos não apresentam sintomas, ou têm apenas sinais leves e pouco representativos. Se esse for o seu caso, fazer o acompanhamento médico, sem necessariamente usar algum medicamento ou fazer uma cirurgia, pode ser a melhor opção.

Já para as mulheres cujos sintomas de mioma uterino incomodam as atividades diárias, existem algumas modalidades de tratamento:

  • Analgésicos para a dor
  • Suplemento de vitaminas e ferro, devido aos nutrientes perdidos no sangramento.

Técnicas terapêuticas modernas podem colaborar no tratamento quando indicadas corretamente:    

  • Embolização da artéria uterina
  • Miomectomia histeroscópica
  • Ablação endometrial e ressecção de miomas submucosos
  • videolaparoscopia ou robótica
  • Miomectomia abdominal
  • Histerectomia